Gestão Vendas
10/09/2021 • 4 MIN LEITURA

Principais vantagens do MEI para confeiteiras

Se você, confeiteira, tem a atividade como principal fonte de renda, para colocar seu empreendimento um degrau acima no mercado e garantir direitos, que trabalhando informalmente na atividade você não pode acessar, tornar-se MEI pode ser uma ótima escolha.

Essa iniciativa pode levá-la a tornar-se uma grande empresa, caso esse seja seu interesse. Afinal, se você arrecada menos de 81 mil reais por ano, tornar-se MEI é o início do caminho.

Mas, antes de decidir por tornar-se ou não MEI, é importante saber alguns detalhes e os seguintes requisitos:

  • Sua arrecadação anual precisa ser de, no máximo, 81 mil reais, o que equivale a 6.750 reais mensais;
  • Você não pode ser sócio, administrador ou titular de outra empresa;
  • Ser maior de 18 anos ou emancipado.

Vantagens do MEI para confeiteiras

  1. Baixo custo de tributos: A contribuição para manter o microempreendimento é equivalente a 5% do salário mínimo, ficando em torno de 60 reais por mês. Um valor fixo que sofre alteração uma vez ao ano, junto à atualização do salário mínimo.
  1. Cobertura previdenciária: A contribuição mensal exigida dá  direito a alguns benefícios concedidos pelo INSS, como: Salário-maternidade, Auxílio-doença, Auxílio-reclusão, Pensão por morte, Aposentadoria por invalidez e por idade.
  1. Emissão de notas fiscais: A emissão de NF é uma possibilidade do MEI muito vantajosa para quem deseja atender grandes empresas, que, normalmente, só contratam ou compram de fornecedores que emitem nota fiscal. Além disso, agrega seriedade ao seu negócio.
  1. Registro de funcionário com baixo custo: O negócio vai crescendo e você sente a necessidade de um colaborador. O MEI para confeiteiras permite que você contrate UM funcionário com baixo custo, com encargo previdenciário de apenas 11% da quantia em folha.
  1. Apoio técnico do SEBRAE: Você pode contar com o apoio técnico do Sebrae para aprender a negociar e obter preços e condições nas compras de mercadorias para revenda, ter melhor prazo junto aos atacadistas e melhor margem de lucro.
  1. Crédito fácil: Pode abrir conta em banco com CNPJ e ter acesso a crédito com juros mais baratos em alguns bancos, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Essa facilidade é dada como forma de estímulo ao microempreendedor.

Planejamento antes de abrir MEI

É extremamente importante entender tudo o que permeia a formalização de sua empresa e planejar-se, para que, assim, você identifique a melhor hora para fazê-la, sem comprometer suas finanças.

Ao decidir por formalizar seu negócio, é preciso identificar seus deveres como empresa diante das instituições federais, estaduais e municipais, e programar-se para cumpri-las adequadamente e não correr o risco de perder direitos ou receber multas. Se pretende contar com uma loja física, por exemplo, é necessário conhecer as regras municipais e, se necessário, solicitar alvará.

Além de pagar o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) mensalmente, dependendo do valor da sua arrecadação anual, será necessária a declaração do Imposto de Renda, efetuada durante os primeiros meses de cada ano.

Para tornar-se MEI, como confeiteira, é importante, também, conhecer o que será comprometido. Ao formalizar seu empreendimento, alguns benefícios podem ser interrompidos, como: Salário-maternidade, Auxílio-doença, Auxílio-idoso, Aposentadoria por invalidez, Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (Bolsa-Família), ProUni/FIES e Seguro-desemprego

Essas informações você pode obter no site do Blog MEI Fácil, onde poderá inteirar-se acerca de tudo o que envolve o MEI.

O que você precisa para formalizar seu negócio

Com o plano em mãos e a certeza de que tornar-se MEI é o melhor para seu empreendimento, você pode começar o processo de abertura do seu CNPJ no site do governo.

Quero ser MEI

Será necessário informar, além de seus dados pessoais, o CPF; título de eleitor ou recibo da última declaração do imposto de renda, caso tenha declarado nos últimos dois anos; CEP de sua residência e do local onde exercerá sua atividade; número de celular ativo para receber SMS de verificação na hora da abertura; definir seu capital social e o nome fantasia da empresa.

Além disso, você precisará informar o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), o código referente à sua atividade. Para a profissão de confeiteira, o CNAE é 1091-1/02, que corresponde à Fabricação De Produtos De Padaria E Confeitaria Com Predominância De Produção Própria. Mas, o profissional pode, ainda, listar mais 15 atividades secundárias relacionadas à principal:

Fabricação De Baguetes (Pães), Produzidos Em Padarias Ou Confeitarias; Fabricação De Bisnagas (Pães), Produzidos Em Padarias Ou Confeitarias; Fabricação De Bolos, Tortas E Doces, Produzidos Em Padarias Ou Confeitarias; Fabricação De Padaria Com Predominância De Produção Própria; Fabricação De Instalação E Manutenção De Automação Predial Padaria E Confeitaria Com Predominância De Produção Própria; Fabricação De Panetones E Similares (De Panificadoras); Fabricação De Panificação Com Predominância De Produção Própria; Produtos De Confeitaria Com Predominância De Produção Própria; Fabricação De Produtos De Padaria (Exceto Biscoitos); E Fabricação De Pães De Especiarias (Pão De Gengibre, Etc.) De Padaria E Confeitaria Com Predominância De Fabricação Própria.

Tornar-se MEI, na prática, é simples, mas, exige seriedade e comprometimento para que seja benéfico e saia tudo conforme seus planos. Esperamos que este post a tenha ajudado a entender mais sobre o MEI.

Seja como for, desejamos que seu empreendimento seja um sucesso!

Acompanhe-nos no Facebook e Instagram!

Solicite seu orçamento para embalagens personalizadas!